Somos aquilo que pensamos

Somos aquilo que pensamos

A mente é, na verdade, a própria essência de quem somos. Podemos afirmar com certeza que somos aquilo que pensamos. A maioria das pessoas segue pela vida sem ter uma ideia consciente do que ocorre em sua mente e do que ela é capaz de conseguir. Imagine uma criança na frente da TV, mas sem saber como ligá-la. Fica esperando que alguém a ensine que uma TV serve para assistir a diversos programas e que, para isso, precisa ligar o aparelho e mudar de canal até encontrar o programa preferido. Do mesmo modo, nós precisamos compreender o que a mente faz, aprender a despertá-la e praticar essa mudança de canais.

Nossa mente possui um mecanismo sofisticado que envia e recebe pensamentos. O segredo para ligar esse poder da mente é sintonizar-se com a energia que ela emana, e isso se torna possível pela prática da meditação. Cada pensamento que produzimos tem sua energia característica. A aflição, por exemplo, é um tipo de pensamento que criamos quando estamos enfrentando muitos problemas.

O que queremos não é isso e sim que a mente gere pensamentos de paz interior. As pessoas que conseguem manter a serenidade do coração (ou seja, a paz interior) produzem no seu dia frequências da mente equilibradas, preenchidas por serenidade. A meditação é o método que Deus nos forneceu para serenar a mente.

*As reflexões desta coluna são extraídas de “O Milagre da Meditação”, do autor e líder espiritual japonês Ryuho Okawa (IRH Press do Brasil), que acaba de ser lançado. Seus mais de 2.200 livros publicados, traduzidos para 28 idiomas, já venderam mais de 100 milhões de exemplares no mundo todo.

Deixe um comentário